terça-feira, 30 de abril de 2013

Pampers BRA x Pampers USA

Uma das milhares de coisas que me preocupam em relação ao desenvolvimento da Laurinha é o tempo (indeterminado??) que ela ainda usará fralda.

Alguns meses atrás, quando a questão preço x quantidade começou a fazer muita diferença no bolso, entrei em contato com o SAC da Pampers perguntando se não teria como comprar fraldas por um preço melhor diretamente com eles. Expliquei que minha filha tem PC e que vai usá-las por muito tempo e que todas as outras fraldas provocaram alergias muito severas. Enfim, a resposta foi negativa e voltamos a buscar os melhores preços... esses sem sucesso claro!! Pampers no Brasil é caaaaaro demais.

Ja prevendo então o uso das fraldas juvenis eu começei a pesquisar o custo x benefício e a situação é ainda pior kkkkkkk. Tensão demais pra um pobre bolso de mãe.

A solução que poderia ser a mais viável np entanto é a menos provável (???????), seria comprar Pampers nos EUA.

Na viagem que fiz com a Laurinha comprei um caixa hiper mega "abarrotada" de fraldas pelo preço razoavelmente menor do que pagaria em 3 pacotes grandes aqui. Ela usa essa quantidade no mês!!

A diferença é o tamanho das fraldas e a qualidade master. Que diferença gritante.
Comprei o que eu achava equovalente ao peso e tamanho usados no Beasil, mas as fraldas são tao grandes que teria sido muuuuuuuuito mais em conta comprar o tam menor.
O conforto e a eficiência em deixar o bebê (garotinha né?!) sequinho foi nota 10.

Pena que logo logo as fraldas master vão acabar e vamos voltar a busca de uma alternativa novamente.

Queria demais, demais, demais que os mesmos tamanhos de fraldas fossem vendidos aqui e eu nem me importava de pagar o mesmo preço kkkkkk pq aqui é caro demaaaaaaaais!!

terça-feira, 23 de abril de 2013

Consulta com Geneticista

Ontem chegamos de Belém onde fomos consultar a Laura com a Dra Gloria Colonnneli, geneticista da Santa Casa de Misericórdia do Pará.

Nossa visita se deu em virtude da neuropediatra que iniciou o acompanhamento da Laura no início do ano, comentar sobre uma possível síndrome gética como alternativa para "justificar" o importanto atraso no desenvolvimento.
Partimos então em busca desse atendimento e fomos muito bem recebidos pela médica que me fez perceber que existem bons e sensíveis profissionais na rede pública de saúde ainda.
Ela foi de uma total atenção que não se esquivou de ler os exames que levei e ouvir tudo o qur tinha pra relatar.
Saímos do atendimento com vários exames pra fazer e a suspeita de um outro tipo de síndrome. Ja temos três no total,  porque a equipe que acompanha a Laura no Sarah também levantou a hipotese de uma síndrome no início do ano. La ela ainda vai participar de uma discussão genética com um especialista da rede, mas pelo tempo de espera acredito que esse atendimento seja para o final do ano.
Enquanto aguardamos uma posição do Sarah eu vou buscando alternativas e investigando com a Dra Gloria que foi otima no primeiro atendimento.

É bom demais poder buscar um novo diagnóstico, assim podemos direcionar melhor as terapias que a Laurinha faz. Saber em que pontinho podemos focar um pouco mais e ate mesmo um tratamento mais específico onde possamos obter melhores desempenhos.

Quando surgirem aa novidades nesse aspecto volto para atualizar.

quarta-feira, 17 de abril de 2013

4 anos na Disney

No início do mês a Laura completou seus 4 anos.
Não planejei especificamente viajar com ela nessa data, já estava organizando e confeccionando os adereços pra festinha em casa. Mas a oportunidade surgiu e lá fomos nós encarar mais uma viagem com a Laurinha. Dessa vez Internacional - Orlando e Miami!!!!!!

O planejamento foi bem rápido, por conta do pouco tempo que tivemos. As maiores dúvidas são quanto ao tempo com ela no colo (o quanto na verdade vamos aguentar), a comida (se ela vai comer ou não), remédios (levo uma farmácia, torcendo pra ela não usar nada) e a manutenção do sono como é feita em casa, sem sair muito da rotina.

A grande maioria das viagens que já fizemos foram por motivos médicos, e é claro que não deixo de montar um roteirinho pra aproveitar pelo menos um pouquinho do que cada cidade que já visitamos pode proporcionar.

Eu não tinha muitas dúvidas de que ela aguentaria tranquilamente as mais de 15h de voo, mas fiquei um bocado apreensiva dela enjoar, até porque tínhamos um trecho noturno na volta ao Brasil. O lado bom foi que ela deu show de comportamento e dormiu praticamente a viagem todinhaaaa.

Na bagagem levamos muitas roupinhas de verão e alguns casaquinhos, pois em Orlando estava com temperatura na casa dos 16, 17ºC, o que pra gente é um frio danado kkkkk.
Coloquei em um isopor vários danoninhos, suquinhos, mucillon de caixinha e armazenei com gelo seco. Torcendo pra não ter que deixar nada no aeroporto, levei junto um relatório do Sarah e outro do Centro Estadual onde ela faz fisioterapia e especifica as dificuldades da alimentação. Foi tudo ok!! Acho que se não tivesse com gelo seco até teria dado problema.
Levei vários potinhos de papinha da Nestlé que sempre uso quando viajamos, um pacotinho de sopão de legumes com arroz, um fogão elétrico de 110 volts e comprei lá em Miami um mini liquidificador super compacto pra fazer as vitaminas de frutas.
Alimentação toda ok, foi a vez de montar a farmacinha. Levei um vidro de Depakene na bolsa dela e outros dois, um em cada mala que despachei para o caso de quebrar. Também levei uma receita em português mesmo do remédio. Remédios pra gripe, dor de barriga, infecção nos olhos (fui suspreendida com uma infecção em Búzios e não tinha remedinho na hora, precisamos passar no posto de saúde, mas o posto de Búzios era ótimo e a pediatra mto legal). Levei também remédinho pra inflamação na garganta, ouvido, pomadas de assadura, queimadura, enfim.... Dessa vez fui "equipada". Coloquei tudo na mala a ser despachada e torci pra não desviarem minha bagagem kkkkk.

Como sempre uso um sling nas vezes que viajo com a Laura, resolvi fazer um teste em casa antes de embarcar e percebi que pra longas caminhadas não ia ter condição de suportar os 16kg da minha moleca. A decisão foi que um carrinho seria adquirido nos EUA. Minha dica é comprar pela internet e mandar pro hotel. Fiz isso com roupinhas, sapatinhos (pra mim e pra ela), mas não comprei o carrinho. Vi um super baratinho no site do Walmart, que suportava até 50lb, aproximadamente 22kg e deixei pra comprar lá pra economizar uns 11 reais de frete. Enfim, o resultado foi que precisei usar o sling destruindo minha coluna por 4 dias procurando o bendito carrinho que não tinha em nenhum dos 3 Walmart que fui kkkkkk.

No dia 05 de abril fomos passar o aniversário dela na Disney, Magic Kingdom, e ela simplesmente me sorriu da manhã até a noite, foi lindo!! Laurinha não fala nenhuma palavra, mas me olha quando tá feliz. Ela sorria tão gostoso e me olhava como quem dizia "não acredito nisso mamãe". Eu não sei o quanto ela pode entender de tudo, mas sei que nos olhinhos dela aquele foi um dia especial.
Geralmente nas festinhas ela dorme antes do parabéns, enquanto os convidados se divertem a Laurinha fica no quarto sonhando. Nem a hora do parabéns ela curte, fica com medo e não bate palmas se as pessoas baterem também. Então tenho certeza que essa foi a melhor escolha esse ano. Ela REALMENTE se divertiu no dia do aniversário.

Não fomos em todos os brinquedos, mas acho que faltaram poucos pra que ela pudesse entrar. Até na montanha russa que tinha como limite 91cm de altura nós fomos kkkkkk. Laurinha espocando na gargalhada e o pai morrendo de medo!!

Ela amou conhecer a TinkerBell e valeu a pena os 70 minutos de espera na fila! Foi como um sonho realizado.

Não ficou doente, não deu trabalho e quando conseguimos enfim comprar o carrinho, foi perfeito pra mim e pra ela que pode dormir quando casanva dos passeios, sem chorar no meu colo.

Foi tudo muito bom!!